Surplus

Olá, pessoal.

Copiei alguns trechos do documentário Surplus para instigar a reflexão critica:

A média de consumo de um norte-americano é cinco vezes maior que a de um mexicano. 10 vezes mais que a de um chinês e 30 vezes mais que uma pessoa da Índia.”

O primeiro mundo… somos vinte por cento da população do mundo. No entanto consumimos 80 por cento dos recursos mundiais. Esse nível de consumo é simplesmente insustentável. Se continuarmos a consumir nessas proporções… então finalmente estaremos nos atirando contra a parede.”

“Nações desenvolvidas tem o dever não de apenas dividir suas riquezas, mas também de estimular fontes que produzam riquezas.”

“As pessoas entendem que são parte do sistema global, parte desta abusiva, padronizada, forma destrutiva que está acabando com todas as diferenças, toda liberdade.
Nesse novo mundo as pessoas poderiam ter de volta sua cultura. Nós teríamos um novo conjunto de valores. Uma mudança de paradigmas. Uma grande transformação do pensamento global. Onde as pessoas de repente diriam: “Eu não quero o carro da moda”.”Eu não quero um Big Mac”. “Não quero vestir nenhum jeans Diesel”. “Quero ter uma vida simples e satisfatória“.” (Grifos meus)

Qual a opinião de vocês sobre o assunto?


42 Comentários on “Surplus”

  1. Johnnatan Luiz M .de Barros disse:

    Surplus
    O modelo proposto visa incrementar ao conteúdo do requisito parâmetros para qualificação e validação das informações. O foco de observação é sobre dois elementos: fonte de informação e características do requisito. Quanto à fonte de informação, o modelo propõe, primeiro, identificar a pessoa responsável pela declaração do requisito sob o ponto de vista de produtor e/ou consumidor da informação; segundo, visualizar claramente o papel que esta pessoa ocupa na organização (operacional, tático, estratégico) como formadora de opinião e, terceiro, qualificar o nível de exigência (essencial, expectativa, excedente) para a satisfação do requisito. Quanto ao requisito, o modelo propõe, primeiro, identificar a área de aplicação (operacional, tático, estratégico); segundo, identificar a área de origem do requisito (interno, externo, ordem legal) e terceiro, identificar a relação de dependência do requisito no contexto em estudo ,individual, secundário, grupo e etc.

    Johnnatan Luiz M. de Barros 2ºC Nº 14

  2. Stephanie Ribeiro 2°RD n° 35 disse:

    Uma temática pouco difundida nos meios de comunicação em massa, Surplus descarrega uma gama de informações questionáveis que circundam o incansável mundo capitalista, marcado pela extravagante sociedade de consumo, sem descartar as deficientes e rigorosas normas da Cuba de Fidel, mostrando carência de reformulação nos conceitos éticos e políticos deixando claro que em nenhum dos sistemas reside a liberdade. Abrindo caminho também para um melhor entendimento dos processos civilizatórios, responsáveis por toda essa herança política que determina,interfere e influencia nas relações sociais e econômicas do mundo, que acabou gerando uma má distribuição de renda que consequentemente vem impossibilitando o desenvolvimento sustentável, causando dependência e atraso para os países subdesenvolvidos.

  3. Stephanie Ribeiro 2°RD n° 35 disse:

    Uma temática pouco difundida nos meios de comunicação em massa, Surplus descarrega uma gama de informações questionáveis que circundam o incansável mundo capitalista, marcado pela extravagante sociedade de consumo, sem descartar as deficientes e rigorosas normas da Cuba de Fidel, mostrando carência de reformulação nos conceitos éticos e políticos deixando claro que em nenhum dos sistemas reside a liberdade. Abrindo caminho também para um melhor entendimento dos processos civilizatórios, responsáveis por toda essa herança política que determina,interfere e influencia nas relações sociais e econômicas do mundo, que acabou gerando uma má distribuição de renda que consequentemente vem impossibilitando o desenvolvimento sustentável[3], causando dependência e atraso para os países subdesenvolvidos.

  4. Katia Lopes disse:

    Olá, pessoal.

    Copiei alguns trechos do documentário Surplus para instigar a reflexão critica:

    A média de consumo de um norte-americano é cinco vezes maior que a de um mexicano. 10 vezes mais que a de um chinês e 30 vezes mais que uma pessoa da Índia.”

    “O primeiro mundo… somos vinte por cento da população do mundo. No entanto consumimos 80 por cento dos recursos mundiais. Esse nível de consumo é simplesmente insustentável. Se continuarmos a consumir nessas proporções… então finalmente estaremos nos atirando contra a parede.”

    “Nações desenvolvidas tem o dever não de apenas dividir suas riquezas, mas também de estimular fontes que produzam riquezas.”

    “As pessoas entendem que são parte do sistema global, parte desta abusiva, padronizada, forma destrutiva que está acabando com todas as diferenças, toda liberdade.
    Nesse novo mundo as pessoas poderiam ter de volta sua cultura. Nós teríamos um novo conjunto de valores. Uma mudança de paradigmas. Uma grande transformação do pensamento global. Onde as pessoas de repente diriam: “Eu não quero o carro da moda”.”Eu não quero um Big Mac”. “Não quero vestir nenhum jeans Diesel”. “Quero ter uma vida simples e satisfatória“.”
    (Grifos meus)

    Qual a opinião de vocês sobre o assunto?

  5. […] mais coerente para pensarmos os problemas mundiais atualmente? Assista aos vídeos Ilha das Flores, Surplus, A história das coisas e Da servidão moderna para ampliarem as reflexões de vocês. Comentem os […]

  6. Paola C. da Silva 2RB disse:

    O filme Surplus é uma crítica a toda humanidade. Ele relata de forma expressiva como vive a sociedade atualmente.
    Mostra as duas faces da moeda, tanto como as pessoas vivem no capitalismo como as pessoas que vivem no socialismo.
    Em um trecho do filme, mostra uma mulher que mora em Cuba (país socialista) contando sobre como foi a experiência dela em passar um tempo na Europa.
    Simplesmente o estilo de vida das pessoas que vivem no socialismo é diferente de quem vivem no capitalismo.
    Para nós que fazemos parte de uma política onde não temos regras de consumo, onde compramos o que queremos, onde existe um mais rico que o outro, seria totalmente difícil nos adaptarmos no estilo de vida socialista. Já para eles provavelmente seria uma adaptação mais fácil.
    Há outra parte no filme que mostra varias vezes a mesma pessoas repetindo a mesma palavra, isso que mostrar como são os meios de comunicação no capitalismo, eles repetem varias e varias vezes as mesmas coisas para que as pessoas gravem em suas cabeças o nome do produto.
    Tecnicamente o filme é uma verdadeira e direta crítica a toda a humanidade, em qualquer que seja o regime político em que essa pessoas viva.

  7. Andéliton de Oliveira Soares 2 RB disse:

    Estou totalmente de acordo com os comentários já postados.
    A principal arma do capitalismo, é a criação de uma necessidade da qual nunca possuímos, até porque sem essa necessidade nunca sairíamos as compras. Lazer, diversão e prazer para uma sociedade tão ativa quanto a nossa está se tornando uma regalia. Promessas de felicidade são o que vemos frequentemente, mas, na verdade trazem um vazio e um sentimento de abstinência quando as possuímos depois de um certo tempo.
    Segundo o modelo capitalista só indo as compras você poderá achar um produto que lhe traga a tal ”felicidade” da qual eles tanto prometem. Mas poxa ! Semana que vem já tem um produto novo ! O que fazer ? E se não resolver? Compre novamente ! As prateleiras estarão renovadas com um antidoto novo.
    Na falsa esperança de um dia sermos como as grandes figuras da mídia, ou até mesmo atender aos padrões que a sociedade capitalista impõe, muita gente esperta lucra. Mais ou menos assim em um ciclo vicioso que cada vez mais enchem os bolsos de grandes investidores é movido o capitalismo.
    Todo esse modelo de vida em que nos encontramos é programado pelo capitalismo, cabe a nós sermos pessoas dignas de identidades próprias, ou apenas um boi do rebanho.

  8. Anna T. Dombrauskas nº 06 2ºRB disse:

    Surplus, retrata exatamente a sociedade capitalista de forma clara e objetiva, tendo como uma das principais características o consumismo. A prática consumista é exposta no filme de forma extremamente lípida, onde há uma crítica também, a enorme repetição dos anúncios e propagandas, que acabam persuadindo os consumidores, essa crítica aparece na repetição de cenas e palavras.
    Muito inteligente também, a comparação dos regimes socialista e capitalista. No socialismo, um regime no qual o indivíduo possui um “cartão vale-compras” onde não se pode ultrapassar deteminada quantidade de mercadorias. E no capitalismo onde as pessoas são influenciadas a comprar, comprar e comprar, não importando a utilidade, a degradação ambiental e nem o bem-estar do consumidor, mas visando apenas os lucros.
    O filme, tem um papel concientizador na sociedade, expondo dados e estatísticas, inimagináveis, como por exemplo, a de um americano consumir 30 vezes mais do que um cidadão indiano. A concientização deve ser encaixada nessa parte. Esse é o momento das pessoas pararem para refletir, e se certificarem de que, o que consomem realmente é necessario, e pensar nas consequências que isso trará à sua saúde e ao meio-ambiente.

  9. Aline Oliveira Lima 2°RA N°:03 disse:

    Surplus mostra o que esta acontecendo com nossa sociedade,por causa do consumismo que não tem fim esta acabando com tudo que tem pela frente desde plantações aos mares,e mais importante para nosso sobrevivência do ar.E por causa disso mostra que o mundo será uma desordem geral e isso é mostrado com uma sociedade super revoltada quebrando tudo que esta ao seu lado (uma violência sem tamanho).
    Achei bem interessante que bem no começo do filme fala que
    “para salvar nosso planeta teremos que volta para a idade das pedras”.
    A tecnologia era pra ajudar as pessoas,elas poderiam trabalhar e se comunicar com colegas via imagens(web) era para ajuntar as pessoas e só vem separando cada vez mais.Tem casos que para a mãe chamar pra ir jantar liga no celular ou entra no msn pra chamar a pessoa que esta dentro da mesma casa que ela.
    Mais em cuba eles não apoiam o consumo sem controle e pedem para a sociedade comprar apenas o necessário para isso eles tem um controle de tudo que compram para ter certeza que é só o necessário.Me chamo atenção uma mulher que foi pra Inglaterra e fico assustada com o tanto de coisa que tem no supermercado e o consumo no mc donald’s ela mesmo já não queria mais arroz e feijão e sim um daqueles maravilhosos lanches e assistir tv porque a lista de programações era super grande.
    CONCLUSÃO:
    Nossa sociedade trabalha apenas para ganhar dinheiro e comprar aquilo que ve nas propagandas de televisão e que se você não tiver é como se fosse um estranho nesse planeta,assim o consumo sem limites e sem necessidade.E só pensam em como gastar o dinheiro o consumo é enorme principalmente na época de natal.E o nosso planeta?pra onde vai tanto lixo as pessoas não querem saber só quem satisfazer seus desejos momentâneos.No final uma parte interessante “as pessoas diriam:Quero ter um vida simples e satisfatória”.Isso não é impossível pois teríamos que voltar nos tempos das cavernas onde não tinhas carros,lojas e nem ao menos estradas e tecnologia,ou seja,seria plantar,colher e assim seria nosso planeta recuperado das poluições tanto sonoras como ambientais.Um mundo onde as pessoas não trabalhassem alienadas e estressadas,teriam mais tempo para o lazer e família.

  10. Luana Ferreira 2°RA n° 29 disse:

    Surplus está ligado tanto a globalização quanto a sustentabilidade, ele meio que retrata que conforme o “mundo cresce” as pessoas consomem mais e mais e as vezes até sem necessidade e isso acaba preujudicando o meio ambiente e até a própia saúde dessas pessoas. Acredito que ele queira conscientizar as pessoas de que o mundo tem que ser menos capitalista e consumista e tenta fazer isso repetindo frases e fazendo “músicas” como as propagandas fazem para atrair clientes.

  11. Ariane Alves n°09 2ra disse:

    Surplus mostra o quanto falho o sistema capitalista é, de modo que nos incentiva ao consumo exagerado sem necessidade alguma, compramos simplismente pelo fato da sociedade nos impor isso atravez das midias. Mostrando o diferente modo de vida da Cuba imposta por Fidel Castro onde todo o povo cubano segue o ideal socialista, leva um modo de vida diferente como aparece no filme uma cubana dizendo varias vezes “rice and beans, mc donalds, burger king, entre outros”. O interessante é que se um pais como Cuba pode viver sem o consumismo exagerado dos americanos, porque o resto do mundo não pode?! O que nos mostra que isso foi um longo processo de adaptação das pessoas com o mundo consumista, se podemos viver sem, o que nos leva a pensar que temos que ter; a sociedade, pois se eu não tiver serei excluida de tal grupo social. E se levarmos em conta tudo o que é gasto com essas midias para infuenciar as pessoas a comprarem mais vemos que são gastos milhões, e esses milhões poderia ser usados para outros fins, como a concientizar as pessoas a não serem tão consumistas, e fzer do mundo um lugar melhor pra se viver, porque se continuar assim necessitaremos (de verdade) de mais 7 planetas Terra para poder jogar o “lixo” fora.

  12. Lucas da Silva Fernandes nº 23 2°RE disse:

    O “surplus” fala de quanto nos consome sem necessidade, mais este consumo é alimentado pela mídia. cada cidadão Norte-Americano consome 30 vezes mais do que uma pessoa da Índia, isto é um exagero pois em seis meses ele utiliza apenas 1% do que ele consome e os outros 99% é lixo e ai que está o problema está grande montanha de lixo que é lançada na atmosfera e em aterros sanitário prejudicando as nossas próprias vidas.
    As empresas também não ficam de fora elas usam um conceito que faz as cabeça das pessoas lançando um novo produto a cada época do ano e isto faz com que as pessoas fiquem pressa a este consumo.

  13. dennys n°:10 serie: 3RE caran apparecido gonçalves disse:

    Esse documentario falar muito de sustentabilidade, pois mostra como a sociedade atual só consegue sobreviver consumindo produtos que prejudicam seu próprio ambiente como o ar que respiramos e a camada de ozônio.
    O documentãrio feito pelo sueco Erik Gandini tem afinal um objetivo muito importante para as pessoas reduzirem menos o consumo e reutilizar coisas que dão ainda para usar e por último reciclar fazendo coleta seletiva dos produtos.

  14. Giovanni Herbst 2°RD N°17 disse:

    Apesar de todo o mau que as pessoas causam para a humanidade,esse documentário tenta nos icentivar a fazermos o que é melhor para todos,reciclando,reutilizando e fazendo com que cada vez mais o nosso mundo aumente os seus conceitos quanto a sustentabilidade.
    Nosso mundo cada vez mais está sendo destruido pelo chamado “Progresso” as arvores,florestas e quase grande parte da natureza ambiental esta sendo destruida,acabando ainda mais com o nosso planeta.
    Em “Surplus é documentado o quanto o consumo exagerado pode causar malefícios não só a população mas também ao planeta.

  15. Rafaela 1°RF N:40 caran apparecido gonçalves disse:

    “Nações desenvolvidas tem o dever não de apenas dividir suas riquezas, mas também de estimular fontes que produzam riquezas.”
    esse video do que eo entendi,é q são sociedades que destroem o meio ambiente,
    q tem muitas montanhas de lixo,q traz mais poluição, causa doenças..mal cheiro..
    e q ñ tem oq fazer para evitar todo esse lixo,mais q também alimenta muitas pessoas q passam nessecidade,e que passam a aproveitar,alguma coisa desse lixo, O “surplus” fala de quanto nos consome sem necessidade, mais este consumo é alimentado pela mídia. cada cidadão Norte-Americano consome 30 vezes mais do que uma pessoa da Índia.
    isso,video mostra q ajente tem q aprender a economizar,e se contentar,com q temos,
    ex:mesmo q não precisamos,poderemos deixar para outra pessoa,para poder ajudar..
    pessoa q nessecitam e precisa, pessoas com o mundo consumista, se podemos viver sem, o que nos leva a pensar que temos que ter; a sociedade.

  16. Tatiane Oliveira N°: 35 2°RC disse:

    É extremamente interessante assistirmos documentários como esse, para que possamos ver toda a destruição que causamos no meio ambiente e em nossa própria vida.
    Surplus é uma dura crítica a toda sociedade , entretanto uma alerta para a humanidade de que algo ainda pode ser feito, para salvarmos o mundo.
    Com o nosso sistema capitalista isso é impossível de acontecer, pois estamos tão alienados pela mídia e pela própria sociedade que não percebemos as coisas que estão a nossa volta, e continuamos a comprar aceleradamente e sem nenhuma necessidade,apenas satisfazendo nossos desejos fúteis e intermináveis , pensando que dessa maneira temos algum tipo de liberdade, e destruindo cada vez mais nosso planeta. Vivemos com uma falsa liberdade onde podemos escolher o que quisermos e comprar, mas se não trabalharmos não teremos nada, nem comida, o sistema está completamente errado.
    Por outro lado, ao olharmos para um país socialista, temos a impressão de que eles não têm nenhum tipo de liberdade, mas se pararmos, para observar e pensar chegaremos a uma conclusão totalmente diferente, eles não podem comer um Bic Mac, porém eles podem escolher se querem trabalhar ou não, não podem ter um carro da moda, mas não vêem em semáforos todos os dias crianças pedindo dinheiro, e para quem não foi contaminado pela sociedade consumista isso não faz nenhuma falta.
    Então é importante buscarmos formas sustentáveis de viver, mas principalmente analisarmos nossa forma de governo que nos impõe o consumismo trazendo assim a degradação da natureza e da vida.

  17. Starlet Jôsy 2ºRD nº34 disse:

    Tentei assistir, deixe carregar por algumas horas. Mas esta travando muito! Eu deixe carregar desde o horário do meu outro comentário! Lamentável!
    Só pude ver os 4 minutos não sei se é problema no meu PC ou não.
    Mais fala sobre as tropas que destruíram uma enorme parte das coisas da natureza poluíram o oxigênio com seus tóxicos! E pessoas consumista que só pensão em consumir e consumir cada vez mais, ele aparenta ter um pouco de relação com o esquema mostrado em “A historia das coisas”
    Só que mostra de uma forma mais real, onde há aquele que tem muito dinheiro e consome em dobro e aquele que vivem em outra classe social, mas que também tem consumo excessivo! Esse filme também envolve outros casos, como descontentamento com a sociedade e sua revolta contra o governo do país!
    “Nações desenvolvidas têm o dever não de apenas dividir suas riquezas, mas também de estimular fontes que produzam riquezas.”

  18. Amanda de Franca Tomaz 2RA n, 07 disse:

    Surplus, na minha opiniao nao se trata de um filme e sim de um curta ou ate mesmo um relato da pura verdade
    a qual nos vivemos atualmente porem nos estamos ocupados demais com coisas banais e nao
    conseguimos ver de uma forma ampla o significado das coisas, ou do consumismo ou ate mesmo
    da sustentabilidade que nao deixa de ser algo que nao pode ser citado.
    Ele mostra de uma forma bem ampla a complusao que as pessoas tem em comprar, e talvez a grande culpada
    pela intensidade das pessoas estarem sempre individadas ou ate mesmo com desejos de materias,
    e concerteza a influencia da televesao na vida das pessoas ela e capaz de mudar a opiniao
    e os gostosos, voce ve aquilo na televisao e deseja aquilo, e tem seus momentos certo de passarem.
    Exemplo, na novela das 21h00 jamais vai passar um comercial de vender barbie ou um carrinho para criancas.
    Vai passar coisas de cabelos, carros e obtenha sua casa propria.
    Nos somos totalmente voltados para a televisao, como em um pais que passa no curta
    que agora eu nao me lembro bem… A moca viajou e comeu Mc’Donalts e isso se torna repetitivo
    ela fala sem pausa, mc’donalts mc’donalts para nos se torna chato irritante mas olhando de outro angulo
    isso e repetitivo na nossa vida, para ela foi comum e surpreendente, mas oque tem de mais em ir no
    Mc’donalts para nos? tem uma parte tambem que eu achei bem interessante que se trata quando um rapaz
    comeca a relatar o modo como ele ganhava o dinheiro dele e como ele perdeu tudo tao facilmente
    com besteiras vistas em televisao por querer o carro do ano, influencia de coisas que melhoraam se atualizam
    as geracoes nao sao mais as mesmas as coisas estao mais atuais a cada 6 meses, existe celulares
    de todas as formas tamanhos cores, a uns 6 anos atraz quem tinha um celular era gente de uma clase media
    atualmete isso ja nao e mais o problema, pode-se parcelar em ate 20x um celular.
    Todos e tudo sofrem as influencias que jornais, revistas de moda, progamas de tv’S etc passam
    com suas midias e formas inovadoras de divulgacao. Na minha opiniao e sobre isso o conteudo.

    Professora sei que a senhora pedio no minimo dois comentarios mas eu estou com a net muito lenta entao estou comentando sobre que vimos na sala, pode estar a desejar por que nao vimos ate o fim, mas ate agora o meu entender foi exatamente isso.
    eee professora falta um pouco de rosa no seu blog haha.
    Beijos

  19. Vitor V. Caracciolo - 3ºRA, Nº 36 disse:

    O documentário expõe de maneira clara um dos principais efeitos do Capitalismo, que é a superfluidade de consumo ou, de maneira coloquial, Consumismo. Para realçar esta ideia, a realidade dos extremos das camadas sociais é apresentada.
    Outra essência do Surplus é a ausência de conteúdo das pessoas insertas no atual sistema socioeconômico, que demonstram interesse apenas em aparência e colocação hierárquica social, menosprezando e rejeitando Direitos Humanos por proveitos pessoais.
    Ao meu ver, o documentário aponta o ciclo vicioso em que o consumismo – consequente do Capitalismo – se desenvolve, atingindo o planeta Terra de maneira irreversível. A produção e consumo ilimitados de bens duráveis são expostos para dissipar o destino fútil da “manufatura” que, se fosse direcionado prudentemente, saciaria necessidades humanas.

  20. Katia Lopes disse:

    Olá, alunas e alunos.
    Eu estou acompanhando a participação de vocês e estou gostando muito!!!
    Amanda, a moça que aparece no documentário é cubana e contou a sua experiência de quando viajou para a Europa.
    Para complementar as ideias de todos, sobretudo ao que a Tatiane e a Amanda destacaram, deixo aqui o link para uma entrevista muito interessante, de uma brasileira que viveu em abrigos e, ao terminar o Ensino Médio, foi estudar Medicina em Cuba.
    Olhem que relato interessante dessa estudante, ex menina de rua: http://colunistas.ig.com.br/ricardokotscho/2010/08/27/ex-menina-de-rua-de-sp-estuda-medicina-em-cuba/

    Abraços.

  21. leonardo matheus 1RC Nº 30 disse:

    “para uma sociedade super desenvolvida o problema nao é crescer e sim distribuir e nao só distribuir entre elas e sim distribuir entre todas .”
    esse video que eu entendi,é q são sociedades que destroem o meio ambiente,
    q tem montanhas de lixo,q traz mais poluição acabando com nossas matas e com a camada de ozônio, causa doenças..e etc.
    e q ñ tem oq fazer para evitar todo esse lixo,mais q também alimenta muitas pessoas q passam nessecidade,e que passam a aproveitar,alguma coisa desse lixo, O documentario fala de quanto nos consumimos sem necessidade, mais este consumo é alimentado pela mídia. cada cidadão Norte-Americano consome cinco vezes maior que a de um mexicano. 10 vezes mais que a de um chinês e 30 vezes mais que uma pessoa da Índia.”
    esse, documentário mostra q nós temos q aprender a reduzir.

  22. Daniel Rodrigo Ximenes Amaral 2°RC N°9 disse:

    Vendo esse comentário e outras fontes de informação criei meu pensamento sobre a natureza humana.
    Para grande maioria das pessoas, a natureza humana é ser indivualista, pensar no seu universo, na sua vida, no seus convivios sociais, e em alguns casos discriminar pessoas que vivem na rua, com o pensamento de que o mundo capitalista te da oportunidade de crecer financeiramente e de ter uma vida feliz e satisfatoria, vivemos em uma falsa liberdade, onde existe uma publicidade tão grande que praticamente nos obriga a comprar aquilo, não porque é algo que realmente queremos, mas sim algo que a sociedade nos impõe para assim, se sentir integrado, conectado a sociedade.

    Na minha opinião, não vejo a as pessoas com essa natureza dentro delas, isso é implantado em suas mentes, por não conhecerem outras realidades, só aquela em que estão presas, na verdade se for analisada a história da humaninade desde a época dos nomades, onde um grupo de nomades exercia suas atividades visando o coletivo, todos os membros do grupo, e quando as primeiras cidades surgiram, junto a agricultura, tudo que era produzido servia para o coletivo, e foi sempre com esse coletivismo que as sociedades creceram, você não poderá ver na história da humanidade uma civilização que durou muito tempo sem esse coletivismo, então vejo que a natureza humana e trabalhar pelo coletivo, pensar no coletivo e depender dele, e isso é algo que existe mesmo nos dias de hoje, no mundo capitalista, mas sem a igualdade entre os membros, hoje as riquezas produzidas pelo coletivo então concentradas nas mãos daqueles que se consideram no direito de udufluir essas riquezas, não por direitos divinos, como já aconteceu em outras sociedades de outros tempos, mas por direitos que pra mim não existem, que não tem sustentação, é como eu chegar em uma ilha e dizer que ali é meu porque eu estou lá e quem chegar depois de mim vai ter que me servir, não existe, em minha visão explicações ou motivos para poder sustentar a ideia de que o lucro de uma empresa deve ser voltado as mãos daquele que supostamente criou a empresa, e que realmente se esquece, ou ignora o fato de que sua empresa creceu, desenvolveu pelo trabalho de seus funcionarios e pela sua gestão, e não apenas pelo trabalho de alguns ou de poucos. um investidor ao investir milhões em uma empresa ele espera que essa mesma se desenvolva, pelo fato dela ter um capital maior, mas o que realmete desenvolve essa cooporação, é o trabalho coletivo e organizado, onde cada um faz a sua função sempre se importando com as funções dos outros funcionarios onde essa interação resulta em um produto de qualidade.

    O fato é, em toda a história, nenhuma pessoa sobreviveu depedendo do seu trabalho, do seu esforço, sem ao menos um incentivo, nenhuma sociedade durou com a ideia onde o povo trabalha pelo estado, e o estado não de o minimo ao povo.

    Ao andar nas ruas e olhar para o alto vemos toda a publicidade de produtos que nos deem conforto e facilitam nossas vidas, como se dependessemos deles para sobreviver, mas ao olhar para baixo vemos pessoas nas ruas sem ao menos direito a uma vida digina, e mesmo que alguns estão ali porque supostamente querem, todos tem a mesma necessidade, o mesmo pensamento, o mesmo desejo, “o direito a uma vida simples e satisfatória”. Se um dia essa chegar a ser a realidade na vida de todos, a natureza humana do coletivismo, que para mim existe em todos, nos fará sentir um prazer muito maior doque sentimos ao comprar um Big Mac, ou uma calça jeans da Diesel, será o tempo em que finalmente poderemos andar nas ruas e ver todos com ao menos vivendo com dignidade e satisfação.

  23. bruna santiago martins n°07 2°RC disse:

    Professora desculpa a demora… O vídeo foi muito legal!! Como vejamos hoje em dia no Brasil e no mundo todo, a Sustentabilidade e um grave problema social.. . Simplesmente vivemos em um sistema que impulsiona as pessoas cada vez mais para um modo de vida que não é sustentável.
    a sustentabilidade e um assunto que tem seus princípios e interesses na sociedade capitalista. A sustentabilidade abrange vários níveis de organização, desde a vizinhança local até o planeta inteiro.
    sustentabilidade promover a exploração de áreas ou o uso de recursos planetários (naturais ou não) de forma a prejudicar o menos possível o equilíbrio entre o meio ambiente e as comunidades humanas e toda a biosfera que dele dependem para existir. Mesmo nas atividades humanas altamente impactantes no meio ambiente como a mineração; a extração vegetal, a agricultura em larga escala; a fabricação de papel e celulose e todas as outras; a aplicação de práticas sustentáveis nesses empreendimentos; revelou-se economicamente viável e em muitos deles trouxe um fôlego financeiro extra. De uma forma simples, podemos afirmar que garantir a sustentabilidade de um projeto ou de uma região determinada; é dar garantias de que mesmo explorada essa área continuará a prover recursos e bem estar econômico e social para as comunidades que nela vivem por muitas e muitas gerações.

  24. Patricia Silva de Oliveira n:27 2RC disse:

    SURPLUS é um ótimo video para podermos repensar em nossos costumes tal costumes que a cada vez mais esta fazendo com que o planeta se acabe.Nesse video se fala muito sobre o nosso consumo exessivo que tem até no video um trecho que fala que ” a media de consumo dos norte-americanos é cinco vezes maior que a de um mexicano,10 vezes mais do que um chinês e 30 vezes mais que uma pessoa da India” esses numeros são absurdos para tão pouca população.
    Nos tempos de hoje as pessoa estão trabalhando mais e logo estão consumindo muito mais se continuarmos nesse rítimo daqui a alguns anos não haverá mais mundo e se um dia pensarmos que iremos poder mudar o mundo teriamos que acabar com muitas coisas teríamos que voltar a idade da pedra para que nossos “sucessores genéticos” possam conheser esse mundo;e com o nosso sistema capitalista não vamos conseguir mudar muitas coisas mas ao vermos esse video devemos repensar e fazer algo para poder melhorar o mundo e se todos colaborarem que seja apenas um pouco iremos ver uma grande difrença em nossas vidas….

  25. Carolina S. Ferreira nº:06 3º RE disse:

    Creio que o super consumismo que existe no mundo não é algo de agora, e sim algo que foi criado em um longo tempo, como se aos poucos as empresas colocaram em nossas mentes que se você não tiver uma roupa na moda, não é legal. Ou se você não comer em um restaurante caro não é bom.
    Me pergunto como alguem pode viver com tão pouco e com uma familia tão grande, e para outros o dinheiro vai embora como água.
    O problema é que não percebemos que na verdade se estamos vivendo em um mundo consumista e sem caráter é porque nos mesmos decidimos e impomos isto sociedade, nos decidimos que o tenis tal é bom ou a roupa tal é legal, sendo assim é claro que estamos caminhando para uma possivel destruição e fim que nos estamos colocando uma data para o fim.
    Um otimo filme de 2006 chamado “Filhos da esperança – (Children of Men)” conta a historia do mundo em 2027 quando por algum motivo as mulheres não conseguem mais engravidar e assim pode colocar um fim na humanidade. Outro filme de 2008 parecido porem com menos qualidade é missão babilônia. Porem o que me chama atenção nestes filmes que falam sobre o futuro, é a forma que eles mostrar a humanidade e o que ela se transformou, pessoas lutando por comida, agua, teto, absolutamente tudo e o que me faz pensar é que se não colocarmos um ponto final neste consumismo enorme e auto destruição acabaremos assim, e ninguem podera dizer que não é o culpado.
    Então não seria melhor mudarmos nossa forma de ver a vida do que querer que o mundo mude, o mal das pessoas é achar que sozinhas não chegarão a lugar algum, um dia ouvi a frase que não sei a quem pertence que diz “Do que adianta morrer pela paz, se os que ficam fazem guerra” não pensó assim Che Guevara dizia “Antes morrer de pé, do que viver ajoelhado” isso só mostra que a mudança esta em nós, que o consumismo esta em nós, e por que não a esperança de uma vida melhor e mais justa esta em nós. O mal do Brasil não é ter pouco, o mal do Brasil é não saber dividir.

    • Katia Lopes disse:

      Estou muito feliz com vocês. Li comentários interessantíssimos.
      Ressalto o que a colega Carolina escreveu: “O mal do Brasil não é ter pouco, o mal do Brasil é não saber dividir.”
      Gostaria de indicar dois livros, também sobre uma realidade futurista:
      1984, George Orwel
      Não verá país nenhum, Ignácio de Loyola Brandão

      Bjos.

  26. Anne Caroline Pereira nº:02 3º RE disse:

    O filme nos faz pensar sobre o consumismo e o que estamos fazendo no mundo, pois tudo o que esta acontecendo é de culpa exclusivamente nossa, o mundo tem colocados limites para todos nos do que fazer e o que falar ou vestir e nos apenas aceitamos. Porque não batemos o pé e dizemos eu não quero vestir isso, ou eu não quero comer aquilo porque esta na moda, não eu não vou me drogar e não ligo se isso pra você é careta.
    O filme mostra a que ponto chegamos e o que estamos fazendo, para onde a humanidade caminha, a um ponto que um americano vive com 30 vezes mais do que alguem da India, isso é uma questão de pensar e vermos que nós estamos sendo responsaveis pela nossa propria destruição pelo nosso egoismo.

  27. Sidney Valdevino da Silva nº:32 3º RE disse:

    No filme da pra perceber que as pessoas só pensam nelas mesmas, comprando roupas de marca, comendo comidas caras, andando com carros que julgam na moda, ou que estão parecendo melhores.
    Enquanto as pessoas só pensarem nelas mesmas e não se importarem com o proximo, como um indiano que vive com 30 vezes menos que um americano, não sairemos de nenhum lugar. O alto consumo só existe porque a midia faz com que a população entenda que se você não estiver na moda nunca estara nos padrões, e a população apenas aceita e concorda com tudo isso sendo vitima e responsavel pela propria destruição, de si mesma então a culpa pelo alto consumo é apenas nossa.
    Um dia consiguiremos mudar ou iremos para um fim total onde todos acabarão por engolir uns aos outros.

  28. Audrey De Vivo Ferreira disse:

    O filme Surplus nos alerta dos problemas que estão se passando em nosso mundo.
    A globalização aumenta excessivamente a cada dia, o mundo se tornou um mercado de poder e ganância. Nós queremos suprir nossas necessidades consumindo cada vez mais o que não precisamos e sim o que nos satisfaça naquele momento. O mundo parece não perceber que o narcisismo é cada vez mais freqüente nos dias de hoje.
    Uma pessoa produz cerca de vinte e cinco toneladas de lixo durante a vida e o capitalismo tem sua contribuição nessa quantidade. É tão ruim o que acontece em nossos tempos que a cada dia as pessoas vêem o que acontece no mundo, olham e nem se tocam que o que elas estão fazendo é matar nosso habitat. O filme mostra que países capitalistas criam propagandas, slogans, anúncios etc. Para induzir a sociedade a pensar que precisa de algo que na verdade só serve para movimentar o capital. O ser humano não vê que com isso ele vai ficando mais ignorante e perdendo a capacidade de fazer escolhas. O homem contemporâneo parece mais um bonequinho que pensa que possui livre arbítrio, mas na verdade não passa de um boneco.
    Para resumir: No jogo de poder só joga quem é ”poderoso”.

  29. Andressa Galichio 2°RB n°05 disse:

    O filme aborda como o consumismo esta influenciando cada vez mais as pessoas, ganhando um espaço muito grande na sociedade. As pessoas, por exemplo, aqui no Brasil, consomem livremente, mas bem poucas sabem o que isso representa realmente. São induzidas a comprar coisas que antes nem elas mesmas sabiam que precisavam mas quando aparece um novo produto na TV ou em sites, as pessoas sentem necessidade daquilo ou até mesmo para esquecer um problema as pessoas vão as compras mal sabendo que isso só vai aumentar seus problemas cada vez mais. Achei muito interessante a maneira que eles vivem em Cuba, compram realmente só o necessário, sem exageros. As pessoas que vivem em países de muito consumismo deviam ter uma experiencia como essa, não comprar o que querem e na hora que querem e sim o necessário e quando precisar, isso faria as pessoas terem consciencia de como o consumismo é uma coisa que pode prejudicar o mundo todo, mas sabendo fazer as coisas certas seria uma coisa de que pudesse se aproveitar melhor sem riscos.

  30. Paulo Bauschert 2rB disse:

    O filme Surplus é uma crítica a toda humanidade,O filme mostra que países capitalistas criam propagandas, slogans, anúncios etc. Para induzir a sociedade a pensar que precisa de algo que na verdade só serve para movimentar o capital

  31. gustavo disse:

    ha referncia ao socialismo no documentario sob que formas elas se manisfestam no filme

  32. Marcelo Ferreira disse:

    O filme retrata a sociedade influencialista em que vivemos em que tudo o que fazemos,compramos,falamos,vestimos etc é de origem influenciada pelo mercado nacional e internacional de mercadorias que utilizamos todos os dias e que movimenta bilhões em dinheiro nas bolsas de valores de diversos países.As propagandas influenciam desde as classes mais baixas da sociedade até as maiores com suas propagandas que parecem consumir nosso cerébro para comprar seus produtos,mas se pararmos e analisarmos antes de nossas compras conseguiremos driblar esse mercado capitalista que só pensa no dinheiro em seu bolso e a sociedade que se exploda!.
    nome:Marcelo Ferreira Gomes Junior nº22 série:2ºb E.E.Antônio Manoel Alves de Lima

  33. Isabella Dias de Almeida 2º A nº20 E.E. Antonio Manoel Alves de Lima disse:

    Muito legal o vídeo Profª , acho que ele mostra tudo aquilo que a gente pensa de alguma forma, mas não sabemos como dizer.O bacana dele é que mostra exatamente os dois “lados da moeda”, como por exemplo:
    aquela garota cubana que disse ter ficado impressionada quando entrou pela 1ª vez em um supermercado ,contrastando com aquele garoto milionário que apesar do dinheiro e de ter tudo o que quer, sente um vazio por dentro.Acho também que o mundo está cada vez mais injusto e egoísta!
    Por que compramos tantas coisas que não precisamos? Com medo de faltar? Pode até ser por isso…
    Só que devíamos pensar que enquanto nós (consumistas) compramos à mais com medo de faltar, existem pessoas que não podem comprar nem sequer um pacote de bolacha, porque sabem que se comprarem com certeza vai faltar.Vendo também aquele homem falando sobre prostestos me lembrei de um fato muito recente, á crise dos bombeiros …. Por que enquantos os bombeiros que trabalham para salvar vidas ganham um salário em média de R$ 1,198,24? , e quando questionam o governo sobre isso vão presos!E por que deputados ganham em média ‘MÍSEROS” R$ 12,800,00 e quando roubam e F #*#**** com a nossa vida não são nem sequer julgados muito menos presos!? =/

  34. Camila disse:

    Esse vidéo mostra uma das coisas que nos ser humanos não queremos, ver que e a degradação ambiental e muitas pessoas não percebi que se nós , não cuidar do nosso planeta daqui a pouco só viveremos com as consequências que la traz nos mesmo que provocou. Tabém podemos obsevar que nesse vidéo mostra o quanto a sociedade e enfluenciada a cada vez mais gastar e consumismo começa a fazer, parte da vida de milhões de pessoas e muitas dela nem percebi isso, sabemos que pessoas que tem o poder sobre a soiedade vive dizendo que tem planos para a presevação do meio ambiente mas cade?
    temos que um monte de ignorante acabando com o nosso, planeta e muitas das vezes n´~ao podemos falar nada porque, hoje a violência ta crescendo cada vez mais, as pessoasacha que a melhor solução e a violência mas sabemos que isso e muito errado. Temos que fazer anossa parte para que no futuro não seja tarde de mas!

    Nome: Camila Nascimento de Jesus n: 05 2B° E.E Antonio Manoel Alves de Lima 2011

  35. Nome: Steverson Almeida Dultra Nº 28 Serie: 2ºB - Antonio Manoel Alves de Lima disse:

    O vídeo mostra sobre a globalização e conforme as coisas acontecem de uma maneira acelerada as pessoas começam a não se importar com o meio-ambiente e começam a comprar coisas sem a menor importância e coisas que muitas vezes não serão úteis para ela, mas fazemos isso porque somos incentivados pela mídia que quer de qualquer maneira que as pessoas comprem mais e mais, mas não devemos nos deixar levar pelo consumo exagerado e inútil, devemos comprar apenas as coisas que precisamos e não podemos nos levar a ser influenciado pela mídia;

  36. Willian Soares de Freitas . N°39 série: 2°B . escola: Antonio Manuel Alves de Lima disse:

    O video “Surplus” fala sobre a Globalização, que é o crescimento exagerado de alguns países, mas esse crescimento não só afeta aos países como afeta as pessoas, que começam a comprar desesperadas e fazem disso um hábito, mas com a globalização vem o desgaste do meio hambiente, pois quanto mais se produz mais desgasta o Planeta Terra.
    A pessoas gastam porque são influenciadas pela mídia, a midia as impulsionam a gastar e comprar coisas que não tem importância, mas não devemos deixar a mídia controlar nossa cabeça e fazer tudo que ela quer.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s